Claudio Naranjo nasceu em 24 de novembro de 1932 em Valparaíso, Chile. Cresceu em um ambiente musical, cursou os primeiros anos de colégio em Valparaíso e posteriormente em Santiago, onde graduou-se em medicina em 1959. Depois de um início muito cedo com o piano, estudou composição musical, mas deixou o Conservatório Nacional após ingressar na Faculdade de Medicina. No entanto, seus estudos nesta época não lhe interessaram tanto quanto sua aprendizagem não oficial junto ao poeta visionário chileno e escultor Totila Albert, o poeta David Rosenman Taub e o filósofo Bogumil Jasinowski.

 

Após concluir a graduação, Naranjo foi contratado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Chile para fazer parte da equipe do Centro de Estudos de Antropologia Médica (CEAM) fundado por Franz Hoffman em 1960 e dedicado ao estudo e reparação do efeito desumanizante dos estudos de medicina. Ao mesmo tempo, fez sua residência médica em psiquiatria na Clínica Psiquiátrica Universitária sob a direção de Ignacio Matte-Blanco e submeteu-se a uma análise didática no Instituto Chileno para a Psicanálise.

    El hombre se ha desconectado de su fe en las percepciones     

Cláudio Naranjo

Hay que trabajar para que quienes mandan sean capaces de ver la luz

Durante os últimos 10 anos escreveu e publicou muitos livros (Sanar la Civilización, El Ego Patriarcal, El Viaje Interior, Hermenéutica Musical, 27 Personajes en Busca del Ser, La Revolución que Esperábamos, Budismo Dionisiaco, e Ayahuasca) e proferiu um grande número de conferências. Também recebeu tres doutorados Honoris Causa (um deles em educação pela universidade de Udine, na Itália, outro em psicologia humanista pela Universidade Concordia no México, e um pela Universidade Gestalt da Cidade do México, por seu empenho no campo da educação). Foi nomeado assessor do foro global para o futuro da educação na Rússia, fundou a Universidade Global Claudio Naranjo (com o apoio do governo mexicano) e foi recentemente nomeado como candidato ao Prêmio Nobel da Paz. Continua, por meio da Fundação Claudio Naranjo, com sede em Barcelona, a promover entre os educadores espanhóis um interesse em uma educação não somente holística mas inspirada no propósito de transcender a mente patriarcal, e começou também a convocar educadores de outros países com o propósito de estimulá-los a sensibilizar as autoridades sobre sua percepção da obsolescência dos programas atuais e

sobretudo da visão subjacente relacionada ao propósito de uma educação que pouco tem servido até agora ao desenvolvimento pessoal e menos ainda à evolução social.

 

Em setembro de 2014 foi convidado a abrir o Primeiro Congresso Internacional sobre a Ayahuasca, bebida xamânica sulamericana cujos efeitos foi o primeiro a investigar e aplicar na psicoterapia, e como resultado disso uma editora italiana interessou-se em publicar seu…

… livro El viaje sanador, em que descreve suas explorações terapêuticas dos anos sessenta com outras substância psicoativas. Isso, por sua vez, estimulou convites para dar outras palestras e entrevistas sobre o tema, que havia postergado por decênios devido à sua intenção de ser escutado pelos educadores, mas que Naranjo propõe-se a retomar, já que está se debilitando a atitude repressiva da política com respeito às drogas e nosso mundo doente necessita abrir um canal para a expressão do potencial terapêutico de algumas substâncias.